Mendanha - Pontos Turísticos

 

Caminho dos Escravos

Constituiu no passado uma rota entre o tijuco e Mendanha na qual transitavam tropeiros e animais. Posteriormente, passou a ser utilizado também para o transporte de diamantes extraídos no rio Jequitinhonha. O trecho da subida da serra dos Cristais, na saída da cidade e a descida da serra até o Mendanha, foi calçado pelos escravos a mando do intendente da câmara à época, Desembargador Manuel Ferreira da câmara Bittenchrt, no início do séc. XIX. Atualmente, a prática do turismo ecológico é muito comum no caminho dos escravos.

Acesso: seguir mg-367-sentido Araçuaí até o distrito de Mendanha. O percurso total é de 20 km.

 

Igreja de Nossa Senhora das Mercês

Trata-se de um templo bastante modesto, com planta dividida em nave, capela mor e, lateralmente a estas duas sacristias a maneira de puxados. A fachada é extremamente singela e, marcada por uma torre central e única, mostrando um jogo bem simples de vãos, com porta principal, duas janelas a ela diagonais na altura do corpo e pequeno óculo na empena. A cobertura do corpo da igreja e capela-mor é em águas e as da sacristia em meia água independente. Todo o vão tem enquadramento em madeira e vergas retas.

Localização: Praça Nossa Senhora das Mercês.

 

Cachoeira de Santa Polônia

Segundo os moradores mais antigos de Mendanha, a serra de Santa Polônia ganhou este nome porque no local, uma descendente de escravos por nome de Maria de Bina teve uma visão de uma Santa que disse morar ali e teria vindo da Polônia. O nome da cachoeira foi colocado em homenagem ao oratório natural da Serra por sua história e devoção das pessoas à Sanda Polônia.

Acesso: Seguir pela mg 367 sentido Araçuaí por 27km e entrar no distrito de Mendanha. Procurar a Associação de Moradores e Amigos de Mendanha - AMA-ME onde poderá encontrar um condutor de visitantes que possua roteiros para o local. Está localizada a 3 km do distrito.

 

Informações fornecidas pelo Site de Diamantina.